background
O Grupo Navarra, sedeado no distrito de Braga, é líder no sector do alumínio em Portugal no ranking das 1000 maiores e melhores empresas portuguesas. O posicionamento no "Rating 1" foi atribuído pela Dun & Bradstreet, entidade internacional especializada na avaliação de risco das empresas, colocando o Grupo entre as empresas de maior solidez e coesão financeira no nosso país e a nível internacional.

Um crescimento sustentado e os vários investimentos feitos nos dois últimos anos, com cerca de 5,3 milhões de euros aplicados no alargamento do parque industrial, em equipamentos e novas tecnologias, responsabilidade ambiental e no processo de internacionalização, vêm reforçar a liderança nacional do Grupo Navarra no sector do alumínio.

Investimentos e capacidade produtiva do Grupo Navarra

2006 - Aquisição da nova prensa P2800, passando a dispor de três prensas - duas P2200 e uma P2800, atingindo uma capacidade máxima e optimizada de produção de 30.000 toneladas/ano. Possui actualmente, a maior potência de extrusão instalada no país.

Entre 2009 e 2010 - Investimentos na ordem dos 4,9 milhões de euros direccionados para a construção de uma nova nave industrial, em infra-estruturas de apoio e novos acessos, uma nova ETAR para tratamentos de águas residuais industriais e ainda um novo centro logístico.

Instalação de um equipamento de aspiração de gases na secção da anodização, destinado a eliminar a concentração de gases indesejáveis no ambiente de trabalho, assim como a redução substancial na libertação de emissões de gases para a atmosfera.

Ainda ao nível da estrutura produtiva, foram efectuados investimentos na automatização dos processos de embalagem, uma nova linha de montagem de perfis com ruptura de ponte térmica e na modernização da prensa e forno de extrusão da prensa P2200, o que permitiu ao Grupo o potenciamento da sua capacidade produtiva e introduzir melhorias na eficiência dos seus processos produtivos. 

Estes investimentos possibilitaram ao Grupo optimizar os seus recursos humanos e técnicos, aumentando a sua competitividade nos mercados nacional e internacional nos sectores da construção civil e indústria.

Fonte: Multicom